Viagem sem os Filhos - 9 Dicas para tudo dar certo

Nós nunca viajamos a passeio/ férias sem nossos filhos, nossas férias são apenas de 30 dias e acabamos viajando sempre os quatro. Agora que eles estão maiores começo a pensar em dar uma "fugidas" em feriados prolongados só eu e marido, mas ainda faltou coragem (rs).

Conversando com a Marília, mamãe de dois meninos lindos, ela me contou que ganhou uma viagem (a dois) do maridão e como foi "preparar o terreno" para que os meninos ficassem tranquilos e ela sem culpa por viajar sem eles. Espero que gostem do relato e dicas da Marília.

Viajei sem meus filhos e foi surpreendente

Por Marília Tannuri do Blog Petit Papillon

Muitas mamães têm vontade de viajar sem os filhos, mas acabam não fazendo por culpa ou por medo de que algo possa dar errado. 

Sempre fui uma mulher que gosta de sair somente com o marido para ir ao cinema, jantar fora num lugar mais romântico e até para dançar. Mas chegou um momento em que percebi que nós, como casal, precisávamos de algo mais. 

A cara de Felicidade (e sem culpa)

Comecei a imaginar um final de semana em alguma praia ou até mesmo uma escapadinha até São Paulo para assistir uma peça de teatro e dormir num hotel bacana.

Qual não foi minha surpresa quando ganhei de presente de aniversário do marido uma viagem a dois -pausa para a cara de embasbacada - para Nova York.

No dia que ganhei o presente não sabia se pulava de alegria ou se chorava de culpa por estar tão feliz em fazer uma viagem sem as crianças. Muitas podem me achar uma louca por pensar assim, mas a maioria das mães sabem exatamente como eu me sentia naquele momento.

Sabe o que fiz para fugir dessa culpa? 

Comecei a listar tudo o que poderia fazer sem ter crianças ao meu redor:
  • Aproveitar a tranquilidade de um café da manhã sem nenhum “mini ser” pedindo para fazer cocô ou derrubando suco na mesa (rs);

  • Tomar um banho de horas sem ter o banheiro sendo invadido por carrinhos e gritos de “manhêeee”;

  • Conseguir conversar por 5 minutos com o marido sem ser interrompida a cada 2 segundos;

E isso foi fazendo minha ficha cair de que poderia ser maravilhoso pra mim, pro meu companheiro e também para os meus filhos fazer essa viagem. Após a fase de culpa e aceitação iniciei os preparativos da tão sonhada viagem e como faria com as crianças durante esse período. E vou dividir com vocês as técnicas que utilizei e o que deu certo ou não... assim se você pensa em planejar uma viagem a dois já pode ir se preparando com as dicas:

#1 - Com quem deixar as crianças

Minha primeira e mais importante dica é deixar as crianças com alguém que você confia plenamente e que as crianças tenham intimidade e amor. Sabendo que seus filhos estão protegidos e bem cuidados você consegue curtir muito mais a viagem. No meu caso escolhi a minha sogra e minha ajudante do lar. Minha sogra porque sempre fica com as crianças quando vamos passear e eles adoram ficar com ela. Minha ajudante do lar porque cuida deles todos os dias, dá banho, faz o almoço e sabe de tudo que eles gostam.

#2 - Deixe as crianças em sua casa (se houver essa possibilidade)

Em casa a rotina não muda e isso é bem importante para que as coisas saiam conforme o planejado. Minha sogra foi para minha casa e minha ajudante do lar foi trabalhar todos os dias normalmente. Eles dormiram em suas caminhas, tomaram banho no seu banheiro e tinham a mão todos os brinquedos e canais de televisão favoritos. Suas roupas e sapatos estavam no mesmo lugar.
Foi um sucesso essa escolha para a minha tranquilidade. Fiz compra de supermercado e varejão e deixei um cardápio com almoço e jantar de cada dia e também os lanchinhos para as respectivas lancheiras. Eles não estranharam nada e tudo correu muito bem.

#3 - Quando contar sobre a viagem?

Quando fui viajar meus filhos estavam um com 10 anos e o outro com 3 anos. Para o menor que não tinha muita noção do tempo deixei para contar quando faltavam apenas 3 dias para a viagem. Foi a melhor coisa que fiz, pois ele ficou ansioso por menos tempo e isso me deixou mais relaxada. Para o maior contei bem antes e ele já tinha exata noção do tempo que faltava para o dia da viagem e que iríamos ficar 7 dias fora. Ele adorou a ideia de ficar com minha sogra e com a prima (que veio a tira colo) e entendeu sua responsabilidade para com o irmãozinho mais novo. Aliás, algo que me deixou muito tranquila foi saber que eles estariam juntos e teriam sempre um ao outro para momentos de alguma dificuldade ou saudades. 

#4 - Não mude a rotina 

Tente não mudar a rotina das crianças ou se não for possível, que essas mudanças sejam as mínimas possíveis. Rotina traz segurança e a criança se sentindo segura menos chances de algo dar errado.
Deixei algumas regrinhas para que não fossem mudados os horários de dormir e acordar, horários de almoço e jantar e atividades extra escolares como natação, violão e futebol.

#5 - Documentos em ordem 

Organizei uma pasta com todos os documentos das crianças como: certidão de nascimento, RG, carteirinha do clube e do convênio médico. Além de telefones úteis como do pediatra (fixo e celular) e da escola. Deixei essa pasta sob os cuidados da minha sogra.
Também avisei na escola sobre a minha viagem e deixei uma lista com nomes e telefones de responsáveis que teriam autorização para retirá-los da escola. Também fiz um roteiro dos dias da semana e das atividades que teriam em cada dia. 

#6 - Painel interativo

Montei um painel de EVA com recortes coloridos. No painel coloquei todos os 7 dias que ficaria fora e as atividades que eles fariam em cada dia.
Dessa maneira eles puderam ter uma ideia melhor da quantidade de dias que faltavam para nossa volta. Eles foram riscando as atividades já feitas no painel e também os dias que iam ficando para trás. Foi uma forma lúdica e divertida de fazê-los entender a noção de tempo.
Deu super certo e guardamos o painel de lembrança. 

#7 - Comunicação

Nos dias de hoje temos vários métodos de comunicação e todos eles muito econômicos. Whatsapp, skype, celular, facetime. Testamos a comunicação por vídeo de whatsapp para ver se daria certo, pois sabíamos de outros casais que tentaram assim e foi um desastre total. Mas com a gente foi um SUCESSO. Falamos por vídeo com eles todos os dias e foi muito tranquilo e prazeroso... falávamos pela manhã e também a noite. Teve um dia que Lorenzo (o menor) nem quis vir falar com a gente, pois estava brincando com a prima. 

#8 - Presença física 

Existe sim como estar presente fisicamente mesmo estando longe. E não estou falando de whatsapp ou telefone.Escolhemos estar presentes com mini surpresas todos os dias. Fui em uma loja de R$1,99 e comprei várias bugigangas e presentinhos. Na verdade, comprei 7 para cada um. Embrulhei um a um com um bilhete dizendo: “faltam X dias para nossa volta” e deixei organizados com minha ajudante do lar. Ela colocava os presentinhos (iguais para não dar briga) na caminha de cada um no final da tarde. Quando chegavam da escola corriam para abrir o presente e ler o bilhetinho. Deu muito certo essa tática, pois o bilhete dava segurança de que estávamos fora, mas que iríamos voltar para casa.

#9 - Programação de lazer

Além das tarefas diárias também deixamos uma programação de lazer já pronta para o final de semana. O final de semana era o mais difícil de pensar para mim, pois ficamos e fazemos tudo muito juntos aos sábados e domingos.
No meu pensamento, a rotina da escola e do dia-a-dia passariam rápido, mas o final de semana sem uma atração diferente poderia ser catastrófico. Então programamos para os Dindos virem buscar as crianças para algumas atividades como teatrinho, circo, cinema e muita bagunça com os primos. Assim pude dar uma folga para minha sogra fazer as coisinhas dela.

Até a próxima viagem
E assim o sonho de viajar a dois se concretizou de forma mais tranquila do que eu esperava. A viagem foi maravilhosa e voltamos mais unidos e com o amor renovado. Mas a melhor pérola dessa história foi quando voltamos de viagem e já no terceiro dia o pequenininho nos perguntou: “Quando vocês vão viajar de novo? Foi tão gostoso ficar com a vovó...” rsrsrsrs.

Espero que esse texto possa te ajudar ou até te incentivar a fazer uma viagem sem os filhos... elas também podem ser prazerosas.

Sou Marília Tannuri Verni, mãe de 2 meninos (Ian - 11 anos e Lorenzo - 4 anos), publicitária, idealizadora do Portal Grávida em Campinas, do Blog Petit Papillon e Proprietária da loja infantil on line Petit Papillon Bebê & Criança. Uma apaixonada pelo universo infantil e por todas as chances que a maternidade nos proporciona.


A Tati do Blog Trip Baby e Kids, também já viajou em uma segunda Lua de mel, sem o seu filho (Biel) e conta tudo nesse post: VIAGEM SEM FILHO : 2ª LUA DE MEL

Você já nos acompanham em nossas redes sociais? InstagramFacebookPinterest

Não viagem sem seguro
Seguro viagem brasil 320x50

Se precisar alugar carro


Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada!

Prefere uma cotação mais individual? Nos enviei um e-mail: poraicomospires@gmail.com
Compartilhe esse post:

Nenhum comentário:

Postar um comentário