Perrengues de viagem - Blogagem coletiva

Você deve ter lido o texto e achou que não faz sentido uma família de blogueiros de viagens, que amam viajar, planejar com antecedência, criar roteiros, ter perrengue? Pois bem, nem tudo ocorre como planejado e sonhado, e temos também perrengues e aprendemos com eles e depois até nos divertimos.

Vocês acham que nós somos os únicos com perrengues? Não (rs), esse post faz parte de uma blogagem coletiva #deuruim de um grupo de blogueiros de Viagem em família, onde todos listarão seus perrengues para nos divertir e aprender muito para não “sofrermos” mais no mesmo tema.

Vamos aos perrengues do Pires

Londres

Quando fomos a Londres, apesar do marido ser apaixonado por futebol não sabíamos que a seleção brasileira jogaria no no período que estaríamos lá, mas quando entramos no taxi (no aeroporto) o taxista perguntou se estávamos lá por conta do jogo da seleção e não entendemos o motivo da pergunta. Assim que nos acomodamos no hotel Rogerio foi logo acessando a internet para verificar sobre o tal jogo e para felicidade dele, o jogo seria na nossa ultima noite de Londres, e vendo o brilho nos olhos dele não tive dizer não e o planejamento da noite anterior à viagem para Roma ser uma noite tranquila para fazermos as malas, foi por água abaixo (rs). Na hora da compra dos ingressos para o jogo, gerou uma dúvida, o Roger pagaria ou não ingresso? Não encontramos nenhuma opção de meia ou ingresso infantil, apenas ingresso com valor full (x euros) e em todos os lugares que tínhamos ido em Paris o Roger não pagava entrada e resolvemos não comprar (pela internet) o do Roger e qualquer coisa compraríamos lá. Já no metrô já víamos pessoas com blusas, bandanas e bandeiras do Brasil, quando chegamos na estação a festa estava pronta, tinha pessoas com pandeiro cantando e alegrando os que por ali passavam. Na caminhada até o estádio parecia que estávamos chegando no Maracanã de tantas pessoas com roupas ou acessórios do Brasil, com a diferença que a temperatura se aproximava do zero. Chegando na entrada do estádio, vimos que todas as bilheterias estavam fechadas, Rogerio viu um funcionário do e perguntou sobre o ingresso para criança e ele disse que não tinha ingresso diferenciado (isso tem 6 anos, não sei como é hoje), com isso Rogerio perguntou onde poderia comprar o ingresso e o funcionário disse que próximo da hora do jogo não vendiam mais ingressos.. Imaginem a carinha do marido? Ficou arrasado, na hora disse a ele para entrar com o Roger e eu voltaria para o hotel (ele não aceitou essa hipótese), enquanto pensávamos no que fazer o funcionário voltou até nós e Rogerio tentou explicar que amava futebol, que queria muito que assistíssemos muito ao jogo.. e antes do Rogerio terminar o funcionário deu o ingresso do Roger e perguntamos como e onde pagar, mas o funcionário disse que estava nos dando, finalmente pude ver o brilho nos olhos do Rogerio novamente, agradecendo imensamente ao funcionário e podemos entrar e assistir o jogo, que foi ótimo e acreditem que quiser era primeira vez que eu assistia um jogo da seleção em estádio e a primeira vez do Roger em um estádio.

Curtam um pouquinho do jogo, primeiro gol do Brasil.


Ainda em Londres.. arrumamos as malas na tarde anterior, chegamos quase meia noite do jogo e teríamos que acordar às 4h para ir ao aeroporto, imagina como estávamos ás 4h da manhã? Verdadeiros zumbis, tomamos um banho para acordar e seguimos para o aeroporto (uma correria danada) e como falei antes estávamos como zumbis e bingo.. aconteceu o perrengue, mesmo conhecendo todas as regras com relação a quantidade de líquido em mala de mão acabamos colocando shampoos, condicionadores e hidratantes (nossos e do Roger) tudo em mala de mão e deu dó vendo sendo tudo jogado fora e a polícia local nos olhando com uma cara feia.. até o xarope do Roger e a mamadeira queriam que eles provasse, como ele estava dormindo Rogerio convenceu os policias a não acordá-lo e o próprio teve que provar. Quando passamos pela “revista” e podemos sentar para aguardar o nosso voo para Roma, tivemos até crise de riso. Mas durante a vontade era de chorar, cansada sem dormir e itens do Roger sendo jogado fora foi mais doloroso que os nossos (tinha um hidratante cheio de quase duzentos reais, comprado no Brasil, sendo jogado fora).

Flórida - Parque com chuva

Quando fomos a primeira vez à Orlando foi no verão é tem sempre “tempestade” de verão quase todos os dias. Como já tinha “estudado” como era Orlando nesse período tínhamos capa de chuva, olhávamos o APP The Weather Channel (para saber o horário de chuva), até ai tudo bem certo? Mas e os carrinhos? Tentamos “amarrar” as capas nos carrinhos, mas como eram tempestades (acompanhadas de bastante vento) quando retornávamos para pegar os carrinhos eles estavam “ensopados”. Na época a Lele tinha apenas 1 aninho e ainda dormia de dia, tivemos que virar as capas de chuva (parte seca) e forrar o carrinho para que ela dormisse. Então se você for a Orlando ou qualquer outro lugar em período de chuva, e com criança que use carrinho, considere comprar uma capa de chuva para o carrinho.
Ficamos "presos" no teatro do Nemo, devido a chuva

Flórida - Pedágio EUA

Primeira viagem a Orlando e achei que tinha “estudado” tudo que era preciso, mas isso não foi verdade. Tinha lido que você teria que ter a tag para pedágio ou ficar na pista da direita para pagar o pedágio no guichê (assim como funciona aqui no Brasil), mas não li nada sobre pedágios (com uma infra menor) que tem o guichê para quem possui a tag e outro para pagar em moedas (sem a presença de funcionário para receber), você deve estar se perguntando qual o problema nisso? Isso ocorreu no nosso primeiro dia onde tínhamos apenas dólar em papel moeda, visa travel e cartão de crédito, e ainda tem mais o Roger havia vomitado no carro, estava caindo um temporal, não tinha nenhum comercial próximo (onde pudéssemos trocar papel moeda por moedas) e não passava uma viva alma. Entendeu agora? Só rindo para não chorar, pensei em como faríamos para daquele lugar? Meu irmão estava conosco e pensou em descer do carro e ver se tinha moedas no chão, juro que estava desacreditada, mas a cada cents que meu irmão achava e ia “jogando” em uma espécie de funil, íamos vibrando até que conseguimos o valor e a cancela abriu e seguimos viagem.

Pedágio com pagamento em moedas

Flórida - Chave do carro perdida

Já fomos a Orlando diversas vezes e sempre alugamos carro e tomamos cuidado com a chave do carro, no mesmo nível que cuidamos dos passaportes, dinheiro e cartões. Mas na penúltima viagem perdemos a chave do carro, e só notamos isso quando chegamos no estacionamento (todos muito cansados, depois de um dia de parques da Universal). Não acreditando que podíamos ter perdido a chave reviramos mochilas, carrinhos.. e nada, bate um desespero!! Fomos até um funcionário do estacionamento e nos certificamos que o carro poderia pernoitar ali. Sem desistir de achar a chave fomos no “achados e perdidos” do City Walk e nada, pedimos para ligaremos para o “achados e perdidos” dos parques e nada (não tínhamos como entrar, pois já haviam fechado). Apesar da diferença de horário, contatei a nossa querida Joana (nossa agente de viagem) pedindo help e pelo horário nos restava retornar para hotel de taxi. Na manhã seguinte, Rogerio foi para Universal muito cedo (antes da 08h estava lá) andou procurando pelo City Walk todo e pelos parques, novamente foi até o “achados e perdidos” e nada.. E nisso eu ligava para ele e fica triste*, dizendo para ele desistir e voltar para casa. Segui arrumando as malas, pois esse era nosso ultimo dia de viagem, sem desistir Rogerio continua a busca indo a cada canto que fomos (até banheiros e restaurantes), depois de um tempo ele me liga eufórico porque havia encontrado a chave, vibramos muito e Rogerio curtiu esse momento tirando várias selfies com a chave (rs). Alguém ai curioso (a) para saber onde estava a chave? Embaixo de uma das “carrocinhas” de pipoca, não me pergunte o que levou a ele olhar lá, mas no fim não tivemos o custo da multa.




* Meu maior motivo da tristeza era que seguro nenhum de alocação de carro cobre a perda da chave e neste caso deve ser paga uma multa em torno de 300 dólares.


Flórida - Upgrade de ingresso da Disney

Muito se fala da duração de uso dos ingressos da Disney, Universal e demais parques em Orlando, que são 14 dias após o primeiro dia de uso, certo? Pois bem em uma das viagens ficamos 20 dias em Orlando, e depois de termos feitos todos os parques e passeios as crianças pediram para ir ao Animal Kingdom e descobrimos que podíamos fazer um upgrade* nos nossos ingressos de 8 dias (já usados) ao consultar em uma das lojas da Disney, fomos orientados a fazer o upgrade no próprio parque no dia seguinte. No dia seguintes quando fomos ao parque, não foi possível realizar o upgrade de ingresso e Rogerio explicou que na noite anterior fomos orientados a fazer o upgrade e que não tinha sido mencionado a regra do upgrade, a funcionária apenas informou como deveríamos proceder. A atendente disse que não teria que fazer e continuou conversando conosco e mencionamos algumas coisas que naquela viagem tinham nos desanimados (No Bibidi bobidi boo não tinha a fantasia completa para Letícia, e era o aniversário dela e na transformação de pirata não tinha do Jack..), ela pediu para aguardarmos um pouco e voltou com 4 novos ingressos e fast pass ilimitados (para todas as atrações do parque). Importante ressaltar que tudo que falamos com ela era verdade (eles tem como verificar todas as reservas e reclamações) e não tínhamos intenção de ganhar nada, era mesmo um desabafo. Tanto é que estávamos na fila para comprar o ingresso normalmente e a funcionária nos chamou e nos concedeu os ingressos e fast pass.
* Com o upgrade de ingresso o valor do próximo dia sai muito mais em conta, pois os valores dos ingressos vão diminuindo por dia, na medida em que tenha mais dias o valor por dia sai mais barato.

Vibrando no Animal Kingdom

Flórida - Carteira furtada no outlet Vineland

Orlando é lindo, maravilhoso (sou muito suspeita por que amo essa Cidade), não tem a violência das nossas grandes Capitais brasileiras, mas longe de ser um local que não tenha violência. Na nossa primeira visita a terra da magia fiquei encantada com a segurança do local, às vezes esquecia filmadora ou câmera fotográfica no carrinho das crianças e quando voltava da atração ainda estavam lá e intactas (um sonho para quem nem pode sair nas ruas falando ao celular no Brasil) e acabei relaxando com algumas paranoias (que tenho ao sair por aqui no Brasil). Estávamos dentro de uma loja, com a Lele dormindo no carrinho e a mochila pendurada no carrinho com outras bolsas de compras, quando ela acordou e saiu do carrinho, ele tombou, achei estranho que as coisas que estavam dentro da mochila foram espalhadas pelo chão da loja, a mochila deveria estar fechada, mas não estava e catei as coisas que estavam no chão e senti falta da minha carteira (gente que vazio senti naquele momento), procuramos o xerife do outlet e ele disse que eu não tinha o que fazer porque não teve roubo e furto não tem quem citar. Chorei muito porque a identidade dos meninos (na época o passaporte não tinha filiação), minha habilitação, cartão de crédito e cartão pré-pago estavam na mochila. Fomos até a ultima loja para verificar se eu não tinha esquecido por lá (apesar de ter certeza que não, mas a esperança é a ótimo que morre), constamos que não e o gerente me deixou ligar para cartão para cancelar, o processo não é tão rápido, mas não queria deixar chegar ao hotel para cancelar, ainda bem porque quando retornarmos ao Brasil tive outro choque com a minha fatura (mais de 8 mil dólares de compras, após o furto). No fim, fiz todos os procedimentos que o banco e a bandeira exigiram, e não precisei arcar com o custo do furto. Lições aprendidas: Posso estar dentro da casa branca que a minha carteira estará comigo, ou na doleira (mais seguro ainda), não ando com os documentos originais fora da doleira.

Furto, todo cuidado é pouco

Flórida - Furacão Isaac

No dia seguinte ao furto da carteira deveríamos seguir para Miami (embarcar no cruzeiro), na noite do furto caiu uma tempestade horrível e Rogerio ligou para recepção do hotel para se inteirar se precisamos fazer algo, porque na TV tinha um broadcast com velocidade do vento, temperatura e pedindo para pessoas evitarem Orlando e Miami, ele ficou meio sem entender o que a recepção informou e preferiu ir até lá.. Quando voltou disse que era exatamente o que ele tinha entendido pelo telefone (que o hotel tinha mantimento para três meses, que deveríamos ter em mãos documentos e remédios controlados, pois caso fosse necessário um alarme soaria e deveríamos seguir para local seguro), como a pessoa consegue dormir com essa informação? Estava com pijama e troquei e coloquei uma roupa, e cada um deitou com um dos pequenos e com documentos à mão (doleira no criado mudo). Devido ao cansaço e o estresse do dia acabamos adormecendo com a TV ligada.. No meio da madrugada ouvimos um sinal/ sirene e acordamos muito assustados até que olhamos para TV e tinha um ator abrindo uma porta (rs), estava passando um seriado e na verdade o som que ouvimos foi de uma campainha. Finalmente amanheceu e fomos para Miami (todo momento tinha informação de tormenta a x milhas), quando finalmente chegamos no porto de Miami ele estava aberto, mas o embarque do navio demorou muito (mas embarcamos com segurança). Além do Isaac tínhamos o problema de não ter mais as identidades das crianças em mãos (devido ao furto) e constava na regra que precisávamos ter documento comprovando que éramos os pais das crianças menores, mas graças a Deus não exigiram e embarcamos felizes. Conhecemos Nassau, Ilha da Royal Caribean e Key West.

As crianças de capa de chuva curtindo
 Depois das tempestades tivemos lindos dias de sol em Key West e Nassau:
Dia lindo com pimpolhos em Key West
Crianças curtindo Nassau

Panamá - Atraso do avião (em caso de conexão)

 Na nossa ultima viagem na volta fizemos Orlando x Panamá x Rio de Janeiro. O avião atrasou muito para sair de Orlando e a comissária de bordo (da perna de Orlando) avisou que quem fosse fazer conexão no Panamá ela ainda não tinha informação sobre como ficaria, mas assim que soubesse iria informar só que essa informação não aconteceu, relaxamos até chegar ao Panamá, assim que desembarcamos corremos como loucos (inclusive as crianças e com as bagagens de mão) até o portão de embarque para o Rio de Janeiro, parece que escolheram a dedo e estávamos em extremos diferentes do aeroporto, foi uma corrida boa e deu certo no final porque a nossa conexão tinha uma diferença boa de horário, sei que se tudo corre bem ficar às vezes 2 horas esperando no aeroporto é chato, mas nesse caso foi o que nos salvou. Então a dica é sempre que for fazer conexão pense nesse perrengue e considere um tempinho entre um aéreo e outro.
Esse imagem retrata a nossa correria (rs)

Santos (SP) - Viajar sem reserva de hotel

Pode ser muito divertido e aventureiro sair meio que sem destino certo, mas não me imagino não encontrar um hotel ou pousada para ficar. Em uma das férias fomos do Rio de Janeiro a São Paulo pela Dutra (caminho mais rápido e sem grandes atrativos), no retorno resolvemos voltar pelo litoral, mas não contávamos com uma “neblina” na Cantareira que atrasou e muito a nossa viagem, pois fecharam a estrada por um tempo. Resolvemos nos hospedar em Santos, resolvemos recorrer ao booking e Trip para encontrar uma hospedagem, e meu Deus do céu.. Cada “espelunca” horrível, estávamos com as crianças (na época com 1 e 4 anos), precisávamos do mínimo, enfim achamos algo, nada luxuoso mas que atendia para passarmos uma noite.

Os pimpolhos em uma parada depois de Santos (sentido Rio de Janeiro)

Outros perrengues que vocês devem evitar/ fugir:

  • Criar um check list antes da viagem, para dar aquela checada antes de sair rumo ao destino da viagem;
  • Não acreditar nas fotos do site do hotel sem ter referencia, para evitá-los consulte seu (a) agente de viagem de confiança, verifique com amigos se conhece o hotel, veja rankeamento nos sites como Trip e Booking;
  • Deixar de levar remédios básicos (para resfriado, dor de cabeça, dor de estômago, alergia..) e principalmente os controlados, pois qualquer remédios que tenha que comprar em muitos países precisará de receita;
  • Não esquecer nenhum documento e digitalizar todos (eu salvo no HD externo, mando por e-mail para mim e Rogerio);
  • Ter todas as reservas impressas, por e-mail e em aplicativos.


#deuruim para outros blogueiros viajantes também, vejam as histórias de perrengues deles :

Destinos por onde andei... - Tax Free, nunca mais embarco nessa canoa furada 
Vida de Estrangeira - Perrengue na Turquia
Felipe, o pequeno viajante - Coletânea de perrengues do pequeno viajante
Família Viagem - Nossos perrengues de viagem
O Melhor Mês do Ano - Torres del Paine e os perrengues
E boa viagem!!!

Você também pode nos acompanhar no FacebookGrupo do Facebook e Instagram
Seguro viagem geral 728x90
Compartilhe esse post:

16 comentários:

  1. Gente, quanto perrengue! Acho que tenho mais sorte que vocês, rs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk acho que já deu né? Não precisamos de mais perrengues kk

      Excluir
  2. Nossa! Quanta história de perrengue! Imagino que com filhos deve ficar ainda mais complicado porque deve bater um desespero!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois rimos dos perrengues e aprendemos com eles ;)

      Excluir
  3. Sua lista tá bem generosa, hahaha! Menina, que judiação a história da carteira! Também amo Orlando e acabo relaxando, mas sempre pode acontecer, né... infelizmente! E eu já fui para lá no verão, haja carrinho ensopado, rs! No fim vira tudo história para contar, mas senti seu vazio daqui com a história da carteira, pois já tive a carteira furtada num ônibus, foi péssimo. Seus filhos são lindos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, e como né?! Depois ainda lembrei de outros kkk E que venham mais viagens e menos perrengues..kk

      Excluir
  4. Gente quanto perrengue no quintal do Mickey!! Fiquei até com medo agora hahaha Até parece! Nada seria capaz de me fazer desistir de voltar lá uma vez após a outra!
    Muito chato isso de sofrer com furto em viagem! O resto até dá pra superar, mas ficar sem documentos, perder dinheiro é bem estressante!!

    ResponderExcluir
  5. De todos, o furto foi o mais sofrido.. E depois que passou o susto lamentei muito pela ID das crianças, aquelas carinhas lindas seriam guardadas para sempre comigo �� Ainda bem que tinha digitalizado elas. Mas nada nos afasta da terra da magia, fomos 5x!!!

    ResponderExcluir
  6. Aline, nem terminei de ler todos os posts da BC mas já estou te declarando a rainha do perrengue. Com filhos tudo é mais delicado né?! Mas voces acabaram resolvendo tudo bem. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resolvemos tudo sim e temos histórias para contar.. com filho é tudo mais delicado sim, mas não temos medo de perrengues e vamos com tudo!!!

      Excluir
  7. Catar moedinhas pro pedágio foi demais!!! E me chamou a atenção a generosidade do funcionário do estádio ao lhes dar i ingresso... Baita camaradagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mega camaradagem, meu marido faltou beijar o homem.. kkkkk

      Excluir
  8. Quantos perrengues, Aline, mas muitos terminaram bem, que ótimo. São histórias assim que nos fazem relembrar das viagens com muitas gargalhadas depois. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso como você.. temos história para contar e rimos muito!! Enquanto estava listando os perrengues, eu ri sozinha :)

      Excluir
  9. Com filhos os perrengues são sempre piores! #seicomoé
    Guria, mudando de assunto, o layout do teu blog tá muito lindo e o selinho ficou fofo!
    Bjokas, Claudia@pequenoviajante

    ResponderExcluir
  10. No episódio do futebol, esse funcionário salvou o dia hein. É bom quando encontramos boas pessoas em viagens.

    ResponderExcluir